41 3045 5012 | 47 3237 4779

Câmbio do Dia | 17/01/2020 | Dólar: 4,33 | Euro: 4,83

Varsóvia, capital Polonesa

March 12, 2018 | By: Domus

Por Luciana Burnett

Varsóvia

A Varsóvia, capital polonesa, é a maior cidade do país com quase dois milhões de habitantes. Localiza-se às margens do rio Vístula e é polo industrial do mercado de aço, bens de consumo, automóveis e engenharia elétrica. Em 1939 a cidade acomodava 1.250.000 habitantes, sendo que 35% da população era de judeus. Uma bela capital reconstruída no pós-guerra, viveu dias cinzentos e conturbados. Com a guerra, 450 mil judeus foram para campos de concentração e a Varsóvia sofreu muito com a destruição sistemática. Diferentemente da Cracóvia que preservou construções medievais, a reconstrução da Varsóvia só foi possível com a ajuda de muitos países.

Recebe milhares de turistas anualmente, pois a colorida cidade foi inteiramente reconstruída, mantendo o ar arquitetônico do Sec XVII. O povo é receptivo e alegre. Varsóvia é uma cidade viva com muitos bares, cafés, restaurantes e mesinhas nas calçadas sempre lotadas. Encontramos muitas igrejas por lá, de diferentes estilos. A catedral de São João (construída no Sec XIV, de estilo único gótico e barroco) é uma das mais importantes por ter a coroação de reis em sua história. Outro destaque religioso é a Igreja da Santa Cruz (reconstruída no século XVI) em estilo barroco cujo num de seus pilares foi sepultado o coração do compositor e pianista Fryderyk Franciszek Chopin, em 1849. Citamos estas duas igrejas a todo turista que pisar em solo varsoviano!

Para aqueles que partem a Varsóvia por motivo espiritual, como rota de peregrinação destacamos a Casa da Congregação da Divina Misericórdia, primeiro convento a aceitar Irmã Faustina Kowalska antes do noviciado. O país é extremamente religioso, e suas muitas igrejas poderão encantar a todos aqueles que procuram renovar-se na fé constantemente.

Alguns pontos turísticos que fazem a capital polonesa receber milhares de visitantes:

  • Monumento aos Insurgentes: o monumento homenageia os heróis poloneses que deram a vida ao país em 1944. São dois monumentos. Num deles os heróis aparecem saindo de um duto de esgoto, pois era onde escapavam dos soldados alemães. O segundo monumento, destaca soldados atrás de muros saindo para lutar.
  • Museu da Resistência: tributo àqueles que lutaram pelo país. Conta a história da Polônia na ocupação nazista e os anos do regime comunista.
  • Palácio da Cultura e Ciência: é o edifício mais alto da cidade. Um presente da União Soviética a Polônia, cuja história traz muitas controvérsias uma vez que foi originalmente conhecido como Palácio da Cultura e Ciência de Joseph Stalin. Pode-se subir ao terraço do prédio e ter uma vista panorâmica da cidade.
  • Castelo Real da Varsóvia: uma construção do século XIV que foi residência da família real. Em 1944 foi totalmente destruído por bombardeios do exército alemão. Reconstruído e aberto ao público 40 anos depois, vale a pena conhecer o local que recuperou parte dos objetos reais levado pela Rússia também.
  • Parque Lazienki: famoso por conter a estátua do pianista Chopin e também o maior parque da cidade. Um complexo que contém parques e palácios, repleto de estátuas, jardins, lagos e esquilos. Se tiver sorte, pode pegar um concerto em volta da estátua!

 

Varsóvia e Cracóvia na Polônia, onde passaremos com o Grupo LESTE EUROPEU e a Peregrinação Polonia, Fátima e Lisboa em Portugal são os destinos da Peregrinação Nos Passos de Santa Irmã Faustina e São João Paulo II, com saída em setembro de 2018 pela Domus Viagens.

avaliações